Como amamentar: 5 passos para guiar as mamães

Gerar uma nova vida é mesmo algo mágico e cheio de emoções. São muitas descobertas, medos, inseguranças, momentos de estresse e de alegria. Tudo começa durante a gestação, passa pelo parto e permanece durante os primeiros meses de vida do bebê.

Logo após o nascimento, a amamentação entra em cena. As mamães passam a ser responsáveis por nutrir um serzinho pequeno e indefeso com o melhor alimento que ele pode receber: o leite materno.

Acompanhe o post e saiba como amamentar seu bebê, evitar o estresse e aproveitar ao máximo os benefícios da amamentação.

Passo 1: identifique se o bebê está com fome

O início é um processo de aprendizagem. Você e seu bebê precisarão de um tempo para se adaptar à nova rotina e criar um vínculo de amor e confiança.

Procure não se apegar a regras ou rotinas rígidas. Ofereça o peito sempre que o bebê ou você desejarem, ao mesmo tempo em que procura identificar os sinais de fome apresentados por ele. Isso se chama livre demanda.

Se pecar pelo excesso, está tudo bem. 

Lembre-se que o estômago do bebê é pequeno e ele ainda está aprendendo a mamar. Por outro lado, você mamãe também está aprendendo a como amamentar. Com o passar do tempo, você terá mais facilidade em identificar o choro do bebê. Fome, sono, fralda, suja, cólica ou necessidade de um colinho.

Os principais sinais de fome são:

  • Agitação maior do bebê;
  • Choro alto e forte;
  • Procura pelo mamilo;
  • Coloca os dedinhos ou qualquer objeto na boca.

Aprender a interpretar os sinais do seu pequeno é importante para que você se sinta mais segura e confiante. Mas não esqueça, amamentar é um processo que exige paciência e persistência.

Passo 2: segure o bebê de forma confortável para ambos

As posições para amamentar variam. O que precisa ser garantido é o conforto de ambos.

Um recém-nascido mama de 8 a 12 vezes em um único dia. Por isso, encontrar uma posição confortável é quase um requisito obrigatório. Sentada, deitada ou em pé, o importante é garantir que:

  • o corpo do bebê esteja inteiramente voltado para o corpo da mãe, de forma que tenha o maior contato possível entre eles;
  • o bebê esteja alinhado, com a cabeça e a coluna em linha reta;
  • o narizinho aponte para o mamilo;
  • o bebê consiga abocanhar todo o mamilo durante a mamada.

Procure amamentar seu pequeno com o mínimo de roupa possível. Ele não ficará confortável ao sentir calor com a barriguinha cheia.

Passo 3: observe se está mamando

Alguns bebês costumam dormir logo após pegar o peito ou brincam com o mamilo.

Se ele dormir, faça cosquinha na bochecha ou na parte de trás da cabeça, tire um pouco de roupa para que sinta um leve friozinho ou levante o bebê e faça um movimento tipo pêndulo (balance para os lados).

A pegada correta é fundamental para garantir uma alimentação adequada e a satisfação do seu pequeno. Por outro lado, a pega incorreta pode causar traumas mamilares, ingurgitamento mamário e mastites.

A Organização Mundial da Saúde destaca 4 pontos-chave para identificar se a pegada está adequada:

  • É possível visualizar mais aréola acima da boca do bebê do que abaixo;
  • A boca deve estar bem aberta;
  • O lábio inferior fica virado para fora;
  • O queixo toca a mama.

Passo 4: verifique se o bebê está satisfeito

Um dos principais sinais para saber se o bebê mamou corretamente é sentir o peito vazio. As mamães devem apalpar a mama e observar se ela está mais mole do que no início da amamentação.

Outro indicativo é quando o bebê solta a mama espontaneamente e adormece. No entanto, é preciso ficar atenta, pois nem sempre o fato do bebê adormecer significa que ele mamou o suficiente. Alguns simplesmente são mais sonolentos do que outros.

O ganho de peso também está relacionado a uma amamentação adequada. Embora seja normal a perda de peso logo após o nascimento, os bebês que mamam adequadamente devem recuperar e ganhar peso nas primeiras semanas.

É possível o leite materno ser fraco?

Nada de pensar que seu leite é fraco. Isso é um mito! O leite materno é o alimento mais completo e ideal para o seu bebê. Ele oferece todos os ingredientes, substâncias e anticorpos que seu pequeno necessita para ser saudável.

Passo 5: adote cuidados com os seios entre as amamentações

O surgimento de fissuras na mama pode ser doloroso, causar ansiedade, estresse e muito desconforto para a mãe. Algumas até perdem a confiança e acreditam que não serão mais capazes de amamentar.

Alguns cuidados que podem evitar esse problema são:

  • Mantenha as mamas sempre secas;
  • Não use sabonetes, cremes ou pomadas. Use o próprio leite materno, ao final da mamada, para lubrificar o seio;
  • Deixe os seios secarem ao ar livre. Não use toalhas ou buchas;
  • Garanta a pega correta. O bebê deve abocanhar toda a aréola e não somente o bico;
  • Evite sutiãs que apertem os seios e use roupas confortáveis;
  • Se possível, tome banho de sol.

Estresse e amamentação

Esta é uma relação perigosa e pode sim, interferir na produção do leite materno. As mamães, principalmente as de primeira viagem, costumam ficar ansiosas, nervosas, estressadas ou apresentar depressão pós-parto devido a nova rotina.

Toda essa adrenalina, causada pelo estresse, diminui a produção de prolactina, o hormônio responsável pelo leite materno.Fique atenta aos sinais. Relaxar é uma das melhores formas de garantir o alimento do seu pequeno.

Como amamentar sem estresse

  • Tenha uma rede de apoio: conte com pelo menos 1 pessoa para te ajudar com o bebê enquanto você aproveita um tempinho para cuidar de si. Abra espaço para momentos de autocuidado e confie na sua rede de apoio.
  • Peça ajuda: você não precisa enfrentar todos os obstáculos da maternidade sozinha. Nem deve. Ao se sentir triste, deprimida ou ansiosa, compartilhe seus sentimentos com as pessoas ao seu redor.
  • Garanta momentos de tranquilidade: descanse, relaxe. Converse com o(a) companheiro(a), mãe, sogra e quem estiver ao seu lado sobre o desejo de amamentar. Exponha o que é necessário para que você se sinta tranquila.
  • Não dê ouvidos aos palpiteiros: sempre tem alguém para dizer o que você deve ou não fazer. Confie em si mesma e busque apoio de profissionais em caso de dificuldades ou dúvidas sobre como amamentar.
  • Cuide da sua alimentação: adotar uma dieta pós-parto saudável é uma forma de garantir os recursos necessários para a produção do leite materno, bons nutrientes para seu pequeno e mais disposição para as mamães.

Benefícios da amamentação para os bebês

  • O leite materno é o alimento mais adequado. A Organização Mundial da Saúde (OMS) orienta que este seja o único alimento até os 6 meses de idade.
  • Fácil aceitação e digestão. Não causa alergias ou intolerâncias.
  • Melhora o desenvolvimento intelectual, psicomotor e social.
  • Desenvolve e fortalece a musculatura da boca.
  • Fortalece o sistema imunológico: protege de doenças e reduz o risco de infecções.
  • Reduz o risco de obesidade infantil, aumento do colesterol e Diabetes Mellitus no futuro.
  • É uma forma de fortalecer o vínculo afetivo com a mãe.

Benefícios da amamentação para mães

  • Aumenta o sentimento de segurança e diminui a ansiedade.
  • É prático e nutritivo para alimentar o bebê a qualquer hora e em qualquer lugar.
  • Previne hemorragias no pós-parto e anemia.
  • Diminui os índices de câncer de mama e de ovário, fraturas por osteoporose e artrite reumatoide.
  • Auxilia na perda de peso da mãe (peso adquirido durante a gestação).

Ser mãe é mais do que amamentar

Por fim, mamães, sintam-se abraçadas! 

Independente da forma como acontece, no peito ou na mamadeira, um vínculo de amor e carinho entre você e seu bebê será estabelecido.

É importante destacar que você não será “menos” mãe por isso. Nenhuma mulher é melhor ou pior porque amamentou durante mais tempo ou teve parto natural.

Cada mãe e cada bebê é único. Coloque a saúde do seu pequeno em primeiro lugar e faça o possível para garantir as condições emocionais necessárias para curtir a maternidade ao máximo. Essa é a grande magia de gerar uma nova vida.

Gostou? E para você se preparar ainda melhor em relação à alimentação do seu bebê, confira o nosso artigo Guia da alimentação saudável infantil: do nascimento à primeira infância. Saiba mais sobre a importância de uma boa alimentação, principais crenças, transtornos alimentares e 12 dicas incríveis de como alimentar seu pequeno.