A importância da higiene bucal infantil e durante a gestação

Porta de entrada para nutrir o organismo, a boca interage com todas as estruturas do corpo e está diretamente ligada à nossa saúde, desde os primeiros dias de vida, ainda dentro da barriga da mamãe. Por isso, a importância da higiene bucal infantil e durante a gestação.

Acompanhe neste post, os principais cuidados, problemas comuns, higiene correta e como prevenir. Confira também a resposta para dúvidas frequentes, como: “quando começar a escovar os dentes do bebê” e “quando nasce o primeiro dentinho”.

Por que a higiene bucal é importante para as gestantes?

Vale destacar que a gravidez não causa cáries, perda de cálcio dos dentes ou doenças bucais. Ainda, os cuidados de uma gestante em relação à saúde bucal devem ser os mesmos de qualquer outra pessoa.

No entanto, as mamães precisam ficar atentas a algumas alterações devido a mudanças de hábitos durante a gestação, que podem causar ou agravar problemas bucais já existentes. Exemplos disso são:

  • o aumento na ingestão de alimentos e de refeições ao longo do dia;
  • maior consumo de doces ou alimentos açucarados;
  • aumento na acidez da boca devido aos vômitos;
  • redução nos cuidados com a higiene bucal, seja devido aos enjoos durante a gravidez ou foco em outras prioridades (preparativos para o nascimento do bebê e atenção total ao pequeno nos primeiros dias de vida);
  • aumento no risco de gengivite, devido a variações hormonais que deixam a gengiva menos protegida e com menor capacidade de regeneração.

Todos esses fatores podem levar a doenças bucais nas gestantes e impactar diretamente na saúde do pequeno. Complicações como o nascimento prematuro do bebê ou com baixo peso corporal, por exemplo, podem estar relacionadas à inflamação gengival não tratada de forma adequada.

Condições assim, sugerem às mamães cuidados com a higiene bucal e visitas ao dentista, antes e durante a gestação. Afinal, engravidar com a saúde bucal em dia é uma forma de cuidado também com a saúde do seu bebê.

Cuidados especiais

Entre os cuidados especiais com a higiene bucal durante a gestação estão:

  • fazer a higiene bucal correta todos os dias, após as refeições e também após episódios de vômito (eles aumentam a acidez da boca e podem levar à perda de minerais do esmalte dos dentes, facilitando o surgimento de doenças);
  • usar produtos com xilitol, como pasta de dente ou goma de mascar entre as refeições, como forma de reduzir as bactérias que causam cáries;
  • adotar uma dieta saudável, equilibrada e rica em nutrientes;
  • controlar a ingestão de açúcares;
  • visitar o dentista antes e durante a gestação e fazer o tratamento adequado, quando necessário;
  • informar o dentista sobre sua condição de saúde e a necessidade de cuidados especiais (se houver).

De modo geral, quanto melhor os pais cuidam da sua saúde bucal, maiores são as chances da criança desenvolver hábitos de higiene saudáveis, guiadas pelo exemplo.

Anestesia e gravidez

Muitas mães têm dúvida em relação ao uso da anestesia em procedimentos odontológicos durante a gestação. No entanto, existem opções específicas para esse público, a fim de que os procedimentos possam ser realizados com segurança. 

Logo, não deixe de realizar o tratamento adequado. Converse com seu dentista e informe sobre a gravidez, para que ele possa escolher o tipo de anestesia mais apropriada para o seu caso.  

Problemas comuns

Os problemas mais comuns de saúde bucal durante a gravidez são:

  • cárie;
  • erosão dentária (desgaste dos dentes);
  • gengivite (inflamação na gengiva) e periodontite (infecção bacteriana dos tecidos, ligamentos e ossos que sustentam os dentes);
  • hiperplasia gengival (gengiva inchada e vermelha);
  • granuloma gravídico (crescimento da gengiva);
  • xerostomia (alteração na saliva).

Os problemas na gengiva são os mais comuns na gestação, principalmente porque elas ficam mais sensíveis e fáceis de serem irritadas pela placa bacteriana. No entanto, é importante destacar que uma boa escovação e o uso de fio dental costumam ser o suficiente para remover toda a placa e evitar sangramentos na gengiva. 

Além de bons hábitos de higiene, adotar uma alimentação equilibrada também é uma boa prática para evitar muitos problemas de saúde bucal e contribuir diretamente para a sua saúde e a do seu bebê.

Quando começar a pensar na saúde bucal do bebê?

O melhor momento é ainda durante a gestação. Isso, porque os dentes de leite do seu pequeno começam a se formar durante a sexta semana de gravidez, e o primeiro molar permanente em torno do quinto mês.

Logo, para garantir que essa formação seja adequada, as mamães precisam estar bem nutridas, sem deficiências de vitaminas e outros nutrientes. Por isso, a importância de refeições equilibradas durante toda a gestação, além dos cuidados com a higiene bucal, para garantir que a porta de entrada do alimento também esteja saudável.

Caso você não consiga se alimentar corretamente por algum motivo, converse com o seu médico. Algumas deficiências de nutrientes podem ser facilmente resolvidas por meio de suplementação na gravidez.

Amamentação e saúde oral

Após o nascimento, além do completo poder de nutrição do leite materno, a amamentação favorece o desenvolvimento da musculatura e dos ossos da face do bebê. Esse movimento funciona como um exercício oral, promovendo a respiração nasal, a fala e o desenvolvimento das arcadas dentárias.

Para obter os melhores resultados é necessário que a mamãe seja orientada a como amamentar, garantindo assim a pega correta do bebê e todos os benefícios do aleitamento materno para ambos.

Uso de mamadeiras e chupeta

Para as mamães que por algum motivo não possam amamentar, o ideal é buscar a orientação de um profissional para escolher uma mamadeira adequada e de acordo com o tamanho da boca do bebê.

Não é necessário aumentar o furo do bico da mamadeira para que o leite desça com mais facilidade, pois é justamente o esforço de sucção que ajudará o pequeno a desenvolver os músculos da face.

Por outro lado, o uso de chupetas não é recomendado, especialmente após o surgimento dos primeiros dentes. A chupeta em excesso pode prejudicar a mastigação, deglutição, fala, respiração e crescimento da face, além de deixar os dentes “tortos”. Nesse caso, a melhor opção são os mordedores.

Quando nasce o primeiro dente do bebê?

O sorriso banguela que derrete o coração das mamães dura até aproximadamente os 6 meses de idade, quando nasce o primeiro dente do bebê. Vale destacar que cada um tem seu próprio tempo e não há nada de errado se nascer um pouco antes ou depois disso.

Com 3 anos de idade, seu pequeno contará com 20 dentes de leite (decíduos) e permanecerá assim até os 6 anos, quando nasce o primeiro molar permanente. Ele costuma nascer atrás do último dente de leite e é importante que seja percebido pelos pais. Por ser o último dente, muitas vezes as crianças não conseguem higienizá-lo corretamente e precisam de auxílio.

Já a troca dos dentes de leite inicia por volta dos 5 ou 6 anos e finaliza com o nascimento do “dente do siso” ou “do juízo”, entre 16 e 21 anos. Logo, podemos dizer que se trata de uma longa jornada de atenção e cuidados com a saúde bucal até se atingir a dentição completa, composta por 32 dentes permanentes.

Quando começar a escovar os dentes do bebê?

A partir do nascimento dos primeiros dentes de leite, já é possível começar a escovar os dentes do bebê. Importante utilizar uma escova de dentes pequena, com cerdas macias e creme dental específico para os pequenos.

Da mesma forma que os demais membros da família, a higiene bucal dos bebês com os dentinhos deve seguir a rotina de ser a primeira tarefa do dia e a última da noite. 

Nesse sentido, a higiene noturna merece ainda mais atenção, pois durante o sono a produção de saliva diminui, o que reduz a proteção dos dentes.

Primeira visita ao dentista

Pode parecer cedo, mas a primeira visita ao dentista ou odontopediatra (profissional especializado no atendimento odontológico de bebês, crianças e adolescentes) é recomendada logo após o nascimento dos primeiros dentes do bebê. 

Mesmo que não se tenha muito o que fazer ou olhar, o dentista pode orientar os papais e mamães sobre como cuidar dos dentinhos do pequeno, fazer a higiene bucal correta e recomendar práticas que favoreçam a saúde bucal na infância.

Alimentação e os dentes de leite

Uma alimentação saudável infantil garante muitos benefícios aos pequenos, inclusive para a saúde bucal.

Por isso, é muito importante manter uma dieta equilibrada, rica em nutrientes e longe dos alimentos ultraprocessados e dos malefícios do açúcar. Além de favorecer o surgimento de cáries, esses alimentos podem levar a doenças como obesidade infantil e diabetes melito.

Devido a importância da amamentação, como já citamos, o ideal é que o leite materno seja o único alimento do bebê até os 6 meses de idade. Após, outros alimentos devem ser inseridos de forma alternada até os 2 anos, evitando doces, alimentos adoçados ou açucarados até essa idade.

Como fazer a higiene bucal infantil?

É muito importante ter hábitos diários de limpeza da boca dos pequenos. Confira como fazer a higiene bucal infantil adequada em cada faixa etária.

Recém-nascidos

Mesmo antes do nascimento dos dentes de leite, a boquinha do pequeno deve ser higienizada com uma fralda ou gaze umedecida em água fervida ou filtrada. Limpe cuidadosamente a gengiva, bochechas e a língua do bebê.

Bebês e crianças de até 5 anos

Logo após o nascimento dos primeiros dentinhos, a higiene bucal infantil ainda pode ser feita com a gaze umedecida ou fralda. Porém, com o nascimento de mais dentes, principalmente os do fundo, o ideal é adotar uma escova de cerdas macias.

As crianças até podem utilizar creme dental específico, mas a quantidade deve ser pequena, aproximadamente do tamanho de um grão de arroz. Também é possível limitar a frequência a duas vezes ao dia e ensinar o pequeno a não engolir a espuma.

Vale destacar ainda a importância da higiene bucal antes de dormir. Devido a menor produção de saliva e o longo tempo sem higiene entre as mamadas, pode haver o surgimento de cáries.

Crianças acima de 5 anos

Com a dentição completa, é normal que as crianças ainda necessitem de ajuda durante a escovação, principalmente para a higiene adequada nos dentes do fundo.

Nessa fase, a higiene bucal deve considerar:

  • escovação diária, após as principais refeições;
  • uso do fio dental para remover sujeiras entre a gengiva e os dentes (passe o fio dental pelo menos duas vezes entre os espaços);
  • escovação da língua, por meio de movimentos cuidadosos como se estivesse varrendo, para arrastar restos de comida da parte interna até a ponta.

Ao escovar os dentes, oriente a criança a inclinar a escova em direção à gengiva e fazer movimentos de cima para baixo (nos dentes de cima) e de baixo para cima (nos dentes de baixo). Não esqueça de escovar a parte interna e a superfície dos dentes do fundo.

Quais são os problemas mais comuns na primeira infância?

A cárie e a gengivite são os problemas mais comuns em bebês, pois estão diretamente relacionados à falta de higiene bucal adequada. Além disso, é preciso tomar cuidado com os possíveis traumas causados por tombos ou quedas.

Em relação à cárie é importante identificar logo no início, pois se espalham facilmente entre os dentes de leite. Além de destruir os dentinhos, pode causar dores e afetar o bem-estar dos pequenos.

Outro problema comum são os sapinhos (candidíase), causados por fungos. Os pontos ou placas esbranquiçadas podem aparecer na boca dos bebês devido a beijos de adultos, brinquedos, chupetas não esterilizadas e a falta de higiene adequada.

Mau hálito, desgaste nos dentes e má formação dentária também são problemas que podem surgir. Eles estão relacionados, muitas vezes, à alimentação inadequada, infecções, excesso de flúor durante a formação dos dentes ou mesmo doenças como o refluxo.

Como prevenir?

A prevenção está relacionada principalmente a dois pilares: 

  1. higiene bucal infantil e durante a gestação;
  2. alimentação equilibrada durante a gestação e após o parto para as mamães, assim como para o bebê desde os primeiros dias após o nascimento.

As crianças devem ser incentivadas e orientadas a fazer a higiene bucal todos os dias, especialmente pela manhã e à noite. Os papais e mamães devem encorajar essa tarefa, assim como auxiliar na escovação até que o pequeno tenha mais habilidade. Mesmo assim, a supervisão é importante para garantir a higiene completa.

Em relação à alimentação saudável infantil e também das mamães, só traz benefícios para ambos. Não é necessário proibir a ingestão de determinados alimentos, mas explicar a importância de hábitos saudáveis, realizar as refeições em conjunto, comer a mesma comida e sempre oferecer água aos pequenos.

Boas práticas como essas, com certeza irão favorecer o crescimento e desenvolvimento saudável (e sorridente) do seu filho. 

E para você, que deseja acessar mais conteúdos sobre saúde e nutrição durante a gestação, bem como o cuidado com os pequenos, siga nosso perfil no Instagram e conheça o projeto Be Generous.